Tide Group https://grupotide.com.br Sat, 29 Aug 2020 00:20:00 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=5.5.1 https://grupotide.com.br/wp-content/uploads/2020/09/cropped-icone-tide-group-32x32.png Tide Group https://grupotide.com.br 32 32 CNA debate reforma tributária e protocolo de monitoramento bovino https://grupotide.com.br/2020/08/28/cna-debate-reforma-tributaria-e-protocolo-de-monitoramento-bovino/ https://grupotide.com.br/2020/08/28/cna-debate-reforma-tributaria-e-protocolo-de-monitoramento-bovino/#respond Sat, 29 Aug 2020 00:20:00 +0000 https://grupotide.com.br/?p=2773 A Comissão Nacional de Pecuária de Corte da CNA discutiu, na sexta (28), os impactos da reforma tributária para a cadeia produtiva, com a apresentação dos principais pontos das Propostas de Emenda à Constituição (PEC) n.º 45, da Câmara, e 110, do Senado, e o Projeto de Lei 3887, do governo.

O coordenador do Núcleo Econômico da Confederação, Renato Conchon, apontou a criação de uma alíquota única, o imposto seletivo, a transformação do produtor rural pessoa física em contribuinte e o fim da desoneração da cesta básica como os principais pontos que afetam o setor agropecuário brasileiro.

“Uma alíquota única vai proporcionar queda na rentabilidade, além de inviabilizar pequenos e médios produtores rurais. Em relação ao imposto seletivo, no caso da pecuária, haverá aumento de tributos em produtos para melhoramento da performance do gado, por exemplo.”

Conchon esclareceu que o agro não é contrário à reforma. No entanto, o setor espera que a proposta aprovada não inviabilize o setor produtivo.

“O produtor rural, pessoa física, se tornando contribuinte, vai trocar sua equipe de agrônomos e veterinários por advogados e contadores já que será obrigado a fazer a contabilidade mensal da sua propriedade. Com isso aumentará custo de produção e de compliance”, ressaltou.

Na avaliação do presidente da Comissão, Antônio Pitangui de Salvo, é fundamental o papel que a CNA está fazendo em Brasília, ao manter um diálogo positivo com parlamentares e governo.

“O Sistema precisa falar sobre isso, mostrar que o aumento de tributos irá onerar o setor e trará um grande problema para sociedade a curto, médio e longo prazo. Sem contar que precisamos reverter a visão de que o setor não paga imposto, porque isso não é verdade. Porém, não queremos taxar ainda mais nossa atividade.”

De Salvo afirmou ainda que os produtores rurais precisam ser informados sobre o tamanho dos prejuízos que a reforma trará se for aprovada do jeito está sendo proposta no Congresso.

“É importante entenderem a situação porque nenhum produtor vai absorver um aumento de 15% no custo da produção, por exemplo. Ou seja, isso acabará sendo repassado para a sociedade no preço dos alimentos.”

Outro tema debatido na reunião da Comissão foi o protocolo de monitoramento Boi na Linha. A iniciativa é desenvolvida pelo Imaflora, organização que certifica a qualidade e o desempenho socioambiental dos setores florestal e agrícola.

Inakake ressaltou que o protocolo busca tornar mais claras as regras de monitoramento, auditoria e transparência dos resultados, além de comunicar as partes interessadas e envolvidas com o intuito de fortalecer e proporcionar uma condição mais competitiva para os animais de abate.

Fonte: Agrolink

]]>
https://grupotide.com.br/2020/08/28/cna-debate-reforma-tributaria-e-protocolo-de-monitoramento-bovino/feed/ 0
CNA analisa custo de produção da agropecuária na Bahia, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná e Sergipe https://grupotide.com.br/2020/08/28/cna-analisa-custo-de-producao-da-agropecuaria-na-bahia-mato-grosso-minas-gerais-parana-e-sergipe/ https://grupotide.com.br/2020/08/28/cna-analisa-custo-de-producao-da-agropecuaria-na-bahia-mato-grosso-minas-gerais-parana-e-sergipe/#respond Fri, 28 Aug 2020 23:48:57 +0000 https://grupotide.com.br/?p=2768 A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) realizou painéis virtuais do projeto Campo Futuro para analisar os custos de produção de café (BA), cana-de-açúcar (MG), pecuária de leite (MT), banana (MG); milho (SE); soja, milho, trigo e feijão e cevada (PR).

No município baiano de Itabela, cafeicultores, representantes da Federação da Bahia (FAEB) e representantes de cooperativas se reuniram na terça (25). A propriedade modal apontada representa a realidade produtiva de uma área de 50 hectares de café conilon, conduzida com irrigação e manejo semimecanizado.

A produção média é de 60 sacas por hectare, apresentando uma pequena redução em comparação aos últimos anos devido aos fatores climáticos.

A necessidade de distanciamento social imposta pela pandemia do novo coronavírus elevou os custos de produção como explica a assessora técnica da Comissão Nacional de Café da CNA, Raquel Miranda.

“Nessa safra o cafeicultor gastou mais com o transporte de trabalhadores. Além disso, havia menos mão-de-obra disponível para safra, resultando em um maior valor pago pela medida de café colhido, portanto esse foi o principal fator para a elevação dos custos e produção, representando 34% do custo operacional efetivo”, destaca.

O painel online de cana-de-açúcar em Campo Florido (MG), realizado na terça (25), mostrou resultados positivos graças à adoção de tecnologia, condições climáticas favoráveis e ao gerenciamento da propriedade, que tem área modal de mil hectares, como indica do assessor técnico da Comissão Nacional de Cana-de-Açúcar da CNA, Rogério Avelar.

“A produtividade é 95 toneladas de cana por hectare. Houve aumento na qualidade da cana, com 139 kg de açúcar total recuperável (ATR) por tonelada. O custo operacional total foi de R$ 80,43 por tonelada e margem positiva de R$ 20,99. O custo total registrado é R$ 18,28, gerando o lucro de R$ 2,71 por tonelada de cana”, analisou.

Também na terça (25), foram analisados os custos de produção de soja, milho, trigo, feijão e cevada em Guarapuava (PR). A propriedade modal com 330 hectares de área de cultivo dividido em lavouras de safra de verão e de inverno.

“O painel apresentou alguns destaques em relação à produtividade. A área com trigo aumentou em 5% a produção em relação ao levantamento realizado no último ano. Para a cultura do milho a elevação foi de 4%. Já no caso do feijão plantado na época da seca houve uma redução de quase 10% da produtividade. ”, analisou o assessor técnico da CNA, Thiago Rodrigues.

Ele destacou os aumentos nos custos de produção das culturas analisadas.

“A nível de produção, os dados repassados indicaram que as áreas de soja com cultivar Intacta apresentaram um aumento do custo operacional efetivo por hectare de 3,3%, em relação aos dados exibidos em 2019. Para as outras culturas analisadas, a cevada apresentou uma redução de 1,6%, o milho convencional um incremento de 10,5% e o feijão 15,3% no custo por hectare. Já o trigo registrou alta no custo por hectare de 9% e, ao contrário das outras atividades, operou com a redução no preço de comercialização de 12%. Isso impactou nas margens da atividade, que basicamente não conseguiu arcar com as despesas de desembolso”.

As informações produtivas da banana nanica cultivada no município mineiro de Jaíba também apontam bom desempenho. Os dados foram coletados na segunda (24). Os fruticultores conseguem obter receita maior que o custo total.

Esse fato está muito relacionado à alta produtividade e aos bons preços pago no produto, declara o assessor técnico da Comissão Nacional de Fruticultura da CNA, Erivelton Cunha.

“A propriedade referência realiza um manejo irrigado, semimecanizado e com uso de tecnologias. Isso permite boa produtividade, com 50 toneladas por hectare. Os principais custos da atividade são provenientes dos insumos e condução da atividade e colheita, somente os fertilizantes correspondem a 37,5% do Custo Operacional Efetivo (COE), ou seja, valor que o produtor desembolsa para exercer a atividade”, avaliou.

O milho foi a cultura analisada no painel online do Campo Futuro em Sergipe na segunda (24). Foram identificadas como modelos que mais representam a região uma propriedade média com 120 hectares cultivadas e a outra com característica de agricultura familiar com 15 hectares.

“Os custos operacionais aumentaram em média 39% se comparados com o levantamento realizado em 2019. Somente os gastos com insumos tiveram elevação de 27%, impactados especialmente pelos custos de fertilizantes e defensivos agrícolas. Por outro lado, os participantes do painel indicaram que os preços de comercialização podem alcançar até R$ 50 por saca considerando uma média ao final da colheita”, destacou o assessor técnico da CNA, Thiago Rodrigues.

A pecuária de leite no estado de Mato Grosso foi outra atividade com os dados produtivos analisados pelos técnicos e especialistas do projeto Campo Futuro. Os painéis ocorreram nos municípios de Pontes Lacerda (18), Colíder (19), Araputanga (20) e Dom Aquino (20).

O assessor técnico da Comissão Nacional de Pecuária de Leite da CNA, Gabriel Oliveira, acompanhou os painéis onlines. “Observamos que a cultura da pecuária de corte exerce forte influência na pecuária de leite, pois as propriedades modais possuem ao menos um touro Zebuíno reprodutor. Além disso, a baixa produtividade das vacas é uma característica comum às propriedades”.

Em Pontes Lacerda, a propriedade modal possui 48,4 hectares e 25 vacas em lactação, com produção de 150 litros por dia, com média é de 6 litros de leite produzidos por animal. A renda do leite sobre a renda da atividade é de 66,1% e o custo operacional efetivo representa 45%.

No caso de Dom Aquino, a propriedade típica tem área de 50 hectares com 30 vacas em lactação, que produzem 150 litros de leite diariamente. Isso representa uma média de 5 litros por vaca. A renda do leite sobre a renda atividade é de 68,1% e o Custo Operacional Efetivo (COE) representa 36% da renda com leite.

Já em Araputanga, a área modal é de 31,46 hectares para 17 vacas em lactação. Ao todo são 83 litros de leite ao dia, com média de 5 litros produzidos por animal. A renda do leite sobre a renda atividade é de 59% e o Custo Operacional Efetivo representa 41,7% da renda com leite.

“Com isso, mesmo tendo um COE relativamente baixo a propriedade possui margem líquida negativa, ou seja, a renda é insuficiente para custear a depreciação de máquinas, equipamentos e benfeitoria e da remuneração da mão de obra familiar”, observou.

A propriedade modal do município de Colíder possui 25 vacas em lactação, com uma produção média de 6 litros de leite produzidos por animal em uma área total de 40 hectares.

Fonte: Agrolink

]]>
https://grupotide.com.br/2020/08/28/cna-analisa-custo-de-producao-da-agropecuaria-na-bahia-mato-grosso-minas-gerais-parana-e-sergipe/feed/ 0
Brasil tem primeira carne carbono neutro https://grupotide.com.br/2020/08/28/brasil-tem-primeira-carne-carbono-neutro/ https://grupotide.com.br/2020/08/28/brasil-tem-primeira-carne-carbono-neutro/#respond Fri, 28 Aug 2020 23:46:53 +0000 https://grupotide.com.br/?p=2765 A Embrapa e a empresa Marfrig lançaram, nesta quinta-feira (27) a primeira linha de produtos do Brasil com a certificação carne carbono neutro. O selo sustentável é uma garantia de que os bovinos foram produzidos em sistemas integrados com a plantação de árvores como o silvipastoril (pecuária-floresta) ou agrossilvipastoril (lavoura-pecuária-floresta, ILPF). São elas as responsáveis por neutralizar ou absorver o metano exalado pelo animais e que causam gases do efeito estufa.

A linha com a marca Viva já está disponível ao consumidor consumidor brasileiro em dez supermercados de uma rede em São Paulo e depois estendida para todo país. Para o desenvolvimento a iniciativa privada investiu cerca de R$ 10 milhões. O processo envolveu pesquisa, certificação de propriedade, construção da marca, construção dos padrões de corte, divulgação, royalties, entre outros. Foram envolvidos 12 centros de pesquisa da Embrapa, com uma rede de mais de 150 pesquisadores e ainda diversas instituições.

A pesquisadora sênior da Embrapa Gado de Corte, Fabiana Villa Alves, explica que este sistema traz inúmeras vantagens. Para o consumidor a certeza de que a carne foi produzida sem agredir o meio ambiente, prezando bem-estar animal além de um produto com sabor e maciez. Para o produtor há aumento da produtividade, recuperação de pastagens degradadas, conforto térmico para o animal e adoção de um sistema sustentável economicamente viável. A carne carbono neutro também agrega valor e pode ganhar mercados exigentes de proteína como os Estados Unidos. “A carne carbono neutro é uma iniciativa única no mundo, é a transformação da ciência em um selo comercial”, disse, acrescentando que estão em andamento pesquisas para protocolos de couro carbono neutro e bezerro carbono neutro.

Para o diretor de Inovação do Mapa, Cleber Soares, a carne carbono neutro sinaliza os métodos que devem ser adotados pela pecuária nos próximos anos. “A sociedade clama para que as atividades econômicas sejam descarbonizantes e sustentáveis. O futuro passa pela combinação inequívoca da sustentabilidade com a inovação”, afirmou.

Segundo um estudo da Embrapa Gado de Corte, localizada em Campo Grande (MS), cerca de 200 árvores por hectare seriam suficientes para neutralizar o metano emitido por 11 bovinos adultos por hectare ao ano, sendo que a taxa de lotação usual no Brasil é de um a 1,2 animal por hectare.

Fonte: Agrolink

]]>
https://grupotide.com.br/2020/08/28/brasil-tem-primeira-carne-carbono-neutro/feed/ 0
Brasil terá aumento de 5,4% na produção de grãos https://grupotide.com.br/2020/08/28/brasil-tera-aumento-de-54-na-producao-de-graos/ https://grupotide.com.br/2020/08/28/brasil-tera-aumento-de-54-na-producao-de-graos/#respond Fri, 28 Aug 2020 23:43:49 +0000 https://grupotide.com.br/?p=2762 A BrasilAgro estimou aumento de 5,4% na produção de grãos e oleaginosas na temporada 2019/20, para 322,4 mil toneladas, com impulso do milho primeira safra, que teve alta de quase 12 mil toneladas, ou 39,8%, informou a empresa em fato relevante na véspera.

A safra de soja representou cerca de metade do total produzido, com 160,4 mil toneladas, alta de 1,1% na comparação anual. Já o milho segunda somou 106,7 mil toneladas, alta de 5,2%.

A produção de algodão deve cair 8,6%, para 7,4 mil toneladas, devido a condições climáticas na Bahia, que não foram favoráveis ao plantio, o que levou a uma redução de área destinada ao cultivo de 15% em relação ao estimado inicialmente.

A empresa havia concluído a colheita da pluma em 62,6% da área cultivada, até a divulgação do comunicado, e a produtividade está 7,4% superior à estimada.

A empresa destacou que a produtividade da soja na safra 2019/20 de soja foi de 3.109 kg/hectare, resultado 1% acima do estimado inicialmente, enquanto no milho (Brasil) a alta foi de 2,8% ante o projetado no início.

Fonte: Agrolink

]]>
https://grupotide.com.br/2020/08/28/brasil-tera-aumento-de-54-na-producao-de-graos/feed/ 0
Descoberto arábica inédito de alta qualidade https://grupotide.com.br/2020/08/28/descoberto-arabica-inedito-de-alta-qualidade/ https://grupotide.com.br/2020/08/28/descoberto-arabica-inedito-de-alta-qualidade/#respond Fri, 28 Aug 2020 23:39:55 +0000 https://grupotide.com.br/?p=2758 Vem do país árabe Iêmen a mais nova descoberta em café. Após anos de pesquisa a operadora e exportadora de café local, Qima Coffe, anunciou a descoberta de um grupo genético inteiramente novo de café arábica.

Chamado de Yemenia, que pode ser traduzido como “a mãe iemenita”, esse grupo pode ser a maior descoberta depois de 1700 e 1900 quando foram descobertos o Typica/Bourbon e os SLs, que originaram todas as variedades de arábica do mundo.

A empresa acredita que o achado tem potencial para remodelar o mundo do café nas próximas décadas. Além da nova diversidade genética que essa descoberta vai oferecer ao mundo, ela diz que a qualidade da xícara do novo grupo foi considerada excepcional.

Com auxilio do geneticista mundial do café, Christophe Montagnon, o projeto de pesquisa envolveu a impressão digital genética de 137 amostras de arábica, cobrindo 25 mil quilômetros quadrados. Os resultados da pesquisa foram submetidos para publicação na revista Genetic Resources and Crop Evolution.

Para avaliar a qualidade da xícara foi reunido um juri independente de 35 provadores especialistas de 24 empresas líderes de café em 14 países. A avaliação foi feita às cegas, e a qualidade da xícara dos cafés da Yemenia foi considerada excepcional, com vários cafés marcando 90 ou mais. Pela primeira vez, os Yemenia estão indo para um leilão público, com quinze lotes.

Fonte: Agrolink

]]>
https://grupotide.com.br/2020/08/28/descoberto-arabica-inedito-de-alta-qualidade/feed/ 0
Entenda como funciona a janela de plantio do milho safrinha https://grupotide.com.br/2020/08/28/entenda-como-funciona-a-janela-de-plantio-do-milho-safrinha/ https://grupotide.com.br/2020/08/28/entenda-como-funciona-a-janela-de-plantio-do-milho-safrinha/#respond Fri, 28 Aug 2020 23:28:44 +0000 https://grupotide.com.br/?p=2754 O artigo ‘Milho Safrinha: Janela de Plantio: como funciona? Quais os cuidados?’ , de Décio Karam, membro do Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS), Ph.D, pesquisador de Manejo de Plantas Daninhas da Embrapa Milho e Sorgo, explica que a partir da safra 1995/1996, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) passou a disponibilizar informações para os agricultores sobre a melhor época de plantio de várias culturas de acordo com o município, as características do clima, o tipo de solo e o ciclo das cultivares.

A finalidade dessa informação é repassar ao agricultor o período em que há a menor possibilidade de adversidades climáticas, que coincidam com as fases mais sensíveis das culturas, reduzindo, desta maneira, as probabilidades de quebra de safras. Assim, na agropecuária brasileira, estes períodos são conhecidos como “janela de plantio”.

A importância da janela de plantio fica mais evidente quando observamos os agentes financiadores da produção agrícola baseando suas decisões de liberação de recursos a partir da análise da capacidade financeira do produtor e dos aspectos técnicos para a instalação e condução da lavoura, tendo como ponto principal de decisão o período de plantio definido no Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc).

Para conhecer o melhor período de plantio, o agricultor pode acessar o portal do Programa Nacional de Zoneamento Agrícola de Risco Climático por meio do site do Mapa https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/riscos-seguro/programa-nacional-de-zoneamento-agricola-de-risco-climatico, onde se pode fazer a busca pelo município e pela cultura a ser implantada.

Para se ter sucesso no plantio do milho safrinha é importante prestar atenção na época de semeadura, já que, quanto mais tarde for semeado, menor será o potencial produtivo da cultura e maior será o risco de perdas por geada e/ou seca, dependendo da região produtora. Como alternativa para aumentar esta janela de plantio para a cultura do milho safrinha, o uso de cultivares de soja mais precoces é recomendado e essa prática é usualmente adotada.

O uso de cultivares de soja superprecoce ou precoce no sistema soja-milho safrinha tem permitido ao produtor encurtar o ciclo da soja em pelo menos 20 dias, quando comparado ao uso de cultivares de ciclo médio, e em pelo menos 40 dias, quando comparado com as cultivares de ciclo tardio. Embora essa escolha amplie o período de plantio do milho dentro da janela de plantio, muitas reduções têm ocorrido nos patamares produtivos da soja quando comparamos com o plantio de cultivares com ciclos médio, semitardio e tardio na mesma época.

Ainda que as informações estejam disponíveis, alguns agricultores, que adotam em suas áreas agrícolas a sucessão soja–milho safrinha, frequentemente encontram dificuldades no plantio do milho, realizando a operação, muitas vezes, fora da janela recomendada.

Normalmente, a capacidade operacional é suficiente para o cultivo de verão, porém, com a janela menor para a de safrinha, o produtor acaba finalizando a operação de plantio fora da época e colocando a cultura em condições em que o risco de perda de produtividade é iminente.

Assim, para buscar o ajuste da safrinha dentro da época ideal, muitos produtores do Brasil estão adiantando o cultivo de verão com a soja, justamente para viabilizar a segunda safra, mesmo que isso signifique a possibilidade de aumento do risco de frustração da safra de verão.

É importante o produtor conhecer o novo sistema de classificação de ciclo de cultivares, o Grupo de Maturidade Relativa (GRM),  que se fundamenta na resposta ao fotoperíodo em práticas de manejo e na área geral de adaptação. O GRM define o ciclo, em dias, da cultura da semeadura até a maturidade fisiológica e estabelece com mais realidade o ciclo da soja permitindo que o produtor conheça melhor forma de cultivar a ser utilizada em sua área de produção.

Resta, portanto, ao agricultor fazer o planejamento mais adequado da propriedade para o sistema produtivo a ser adotado, analisando os riscos e as probabilidades para frustração de safra utilizando tecnologias e informações que permitam maiores produtividades, sem prejudicar o rendimento das culturas selecionadas para plantio.

Conhecer  o rendimento operacional (ou seja, quantos hectares por dia são gastos para a semeadura) e os dados de Zarc para o plantio de safrinha, podem definir quais as datas de início do plantio da soja no verão e, principalmente, calcular a área a ser semeada com milho safrinha, podendo explorar o máximo das produtividades das duas culturas.

Fonte: Agrolink

]]>
https://grupotide.com.br/2020/08/28/entenda-como-funciona-a-janela-de-plantio-do-milho-safrinha/feed/ 0
Café é o tema da semana da série Agrotecnologia no dia a dia https://grupotide.com.br/2020/08/28/cafe-e-o-tema-da-semana-da-serie-agrotecnologia-no-dia-a-dia/ https://grupotide.com.br/2020/08/28/cafe-e-o-tema-da-semana-da-serie-agrotecnologia-no-dia-a-dia/#respond Fri, 28 Aug 2020 23:27:17 +0000 https://grupotide.com.br/?p=2751 O café é o tema do novo vídeo da série “AgroTecnologia no dia a dia”, disponível a partir desta sexta-feira (28) no Canal Oficial no Youtube da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), vinculada à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O material traz dicas de preparo e lista razões para o consumo do produto, que é dos principais ativos de exportação do Brasil.

Minas Gerais é o maior produtor de café no país e responde por cerca de 20% do total mundial. A pesquisa, o desenvolvimento e a difusão de novas tecnologias contribuem de forma significativa para essa liderança. Na Epamig, os trabalhos abrangem todo o ciclo produtivo da planta, desde o preparo do solo e a indicação de cultivares selecionadas, até os cuidados pós-colheita. Incluem também o desenvolvimento de variedades mais produtivas e resistentes à pragas e doenças, além da indicação de boas práticas que garantam a qualidade e a agregação de valor ao produto final.

Segunda bebida mais consumida no país, o café está presente nos lares e na rotina diária de grande parte dos brasileiros. Há quem diga que o dia só começa após uma xícara de café, que ajuda a despertar e a melhorar o humor. Estudos comprovam a presença de substâncias com propriedades nutritivas e farmacêuticas que atuam no sistema nervoso, agindo de forma positiva sobre a atenção, concentração, memória, aprendizado e na melhoria do desempenho na prática de atividades físicas.

No vídeo, o coordenador do Programa Estadual de Pesquisa em Cafeicultura da Epamig, Rogério Silva, comenta sobre os trabalhos desenvolvidos pela empresa vinculada à Seapa e alguns benefícios do consumo de café para a saúde. Já o pesquisador Marcelo Malta dá dicas para o preparo, incluindo a escolha do pó ou grão, armazenamento e temperatura da água.

A série “AgroTecnologia no dia a dia” é uma ação comemorativa aos 46 anos da Epamig e tem como objetivo trazer conteúdos que representem a presença das tecnologias geradas pela pesquisa agropecuária no cotidiano da população. Os vídeos anteriores abordaram o preparo de uma geleia de vinagreira, planta alimentícia não convencional (Panc), e dicas para o armazenamento de queijos em casa e para o uso de azeites na culinária.

Fonte: Agrolink

]]>
https://grupotide.com.br/2020/08/28/cafe-e-o-tema-da-semana-da-serie-agrotecnologia-no-dia-a-dia/feed/ 0
Tereza Cristina afirma que tarifa sobre importação de arroz não será retirada https://grupotide.com.br/2020/08/28/tereza-cristina-afirma-que-tarifa-sobre-importacao-de-arroz-nao-sera-retirada/ https://grupotide.com.br/2020/08/28/tereza-cristina-afirma-que-tarifa-sobre-importacao-de-arroz-nao-sera-retirada/#respond Fri, 28 Aug 2020 23:19:35 +0000 https://grupotide.com.br/?p=2747 A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou nesta sexta-feira, 28, ao Canal Rural, que o governo não isentará as importações de arroz de país de fora do Mercosul. Na quinta-feira, 27, o ministério havia informado que a medida estava sendo estudada pela Secretaria de Política Agrícola.

O comentarista Miguel Daoud diz que prevaleceu o bom senso, mas brinca que o coração do produtor rural precisa ser monitorado, pois toda semana há notícias que fazem-no bater mais rápido. “É ameaça de tributação na produção, de isenção na importação e uma série de coisas”, afirma.

Segundo Daoud, a ministra Tereza Cristina está por dentro da crise vivida pelos produtores de arroz, que levou muito a saírem da atividade, o que levou a diminuição na produção e, consequentemente, ao aumento de preços registrado neste momento.

“O Brasil precisa decidir o que quer ser. Quer ser o maior produtor de alimentos? Precisa de instrumentos para que o produtor tenha equilíbrio. Essa é função do estado, o mundo age dessa forma. Países como Estados Unidos e China jogam bilhões de dólar para equilibrar oferta e demanda”, argumenta.

Fonte: Canal Rural

]]>
https://grupotide.com.br/2020/08/28/tereza-cristina-afirma-que-tarifa-sobre-importacao-de-arroz-nao-sera-retirada/feed/ 0
Recorde: arroba do boi gordo continua em alta e atinge R$ 237 em SP https://grupotide.com.br/2020/08/28/recorde-arroba-do-boi-gordo-continua-em-alta-e-atinge-r-237-em-sp/ https://grupotide.com.br/2020/08/28/recorde-arroba-do-boi-gordo-continua-em-alta-e-atinge-r-237-em-sp/#respond Fri, 28 Aug 2020 23:17:11 +0000 https://grupotide.com.br/?p=2744 Analista afirma que os frigoríficos ainda encontram dificuldades para compor suas escalas de abate, consequência de um quadro de oferta ainda “anêmico”.

Os preços do boi gordo voltaram a subir em algumas regiões de produção e comercialização nesta sexta-feira, 28. “O mercado mantém seu movimento histórico de alta”, diz o analista da Safras & Mercado Fernando Henrique Iglesias.

Segundo ele, o ambiente de negócios não sofreu alterações. Os frigoríficos ainda encontram dificuldades para compor suas escalas de abate, consequência de um quadro de oferta ainda “anêmico”.

Além disso, a disputa por animais que cumprem os requisitos de exportação com destino ao mercado chinês permanece acirrada, uma vez que este segmento de exportação é o que oferece a maior rentabilidade para os frigoríficos em 2020. A tendência é que a China siga importando volumes substanciais de proteína animal brasileira no segundo semestre, ainda buscando preencher a lacuna de oferta causada pela peste suína africana.

Na capital de São Paulo, os preços do boi gordo no mercado à vista passaram de R$ 235 para R$ 237 por arroba. Em Uberaba (MG), permaneceram em R$ 234 por arroba. Em Dourados (MS), subiram de R$ 227 para R$ 228 por arroba. Em Goiânia (GO), seguiram em R$ 230 por arroba. Já em Cuiabá (MT), foram de R$ 216 para R$ 217 por arroba.

No mercado atacadista, os preços da carne bovina seguem firmes. Conforme Iglesias, a tendência é que os preços voltem a subir na primeira quinzena de agosto, período que terá maior apelo ao consumo com a entrada da massa salarial acelerando a reposição entre atacado e varejo.

Com isso, a ponta de agulha permaneceu em R$ 13 o quilo. O corte dianteiro seguiu em R$ 13,60 o quilo, e o corte traseiro continuou em R$ 15,60 o quilo.

Fonte: Canal Rural

]]>
https://grupotide.com.br/2020/08/28/recorde-arroba-do-boi-gordo-continua-em-alta-e-atinge-r-237-em-sp/feed/ 0
Soja segue em alta nesta 6ª feira em Chicago e testa suas máximas em 11 meses https://grupotide.com.br/2020/08/28/soja-segue-em-alta-nesta-6a-feira-em-chicago-e-testa-suas-maximas-em-11-mesesos-precos-da-soja-continuam-subindo-na-bolsa-de-chicago-nesta-sessao-de-sexta-feira-28-os-futuros-da-oleaginosa-por-vol/ https://grupotide.com.br/2020/08/28/soja-segue-em-alta-nesta-6a-feira-em-chicago-e-testa-suas-maximas-em-11-mesesos-precos-da-soja-continuam-subindo-na-bolsa-de-chicago-nesta-sessao-de-sexta-feira-28-os-futuros-da-oleaginosa-por-vol/#respond Fri, 28 Aug 2020 23:05:28 +0000 https://grupotide.com.br/?p=2741 Os preços da soja continuam subindo na Bolsa de Chicago nesta sessão de sexta-feira (28). Os futuros da oleaginosa, por volta de 7h55 (horário de Brasília), subiam entre 3,25 e 4,25 pontos nos principais contratos, levando o novembro a US$ 9,46 e o março a US$ 9,51 por bushel.

O mercado se mantém focado entre o clima no Corn Belt e as compras da China nos EUA neste momento, com ambos os fatores dando importante suporte às cotações da oleaginosa. Assim, segundo analistas internacionais, os preços testam suas máximas em 11 meses na CBOT.

“Após meses de letargia, o mercado internacional começa a oferecer suporte aos preços devido a forte demanda chinesa e incertezas em relação à safra amerciana”, afirma Steve Cachia, consultor de mercado da Cerealpar. “Atenção redobrada hoje às atualizações das previsões climáticas para o final de semana. O furacão Laura pode levar precipitações para as áreas secas do centro-oeste americano”, completa.

Fonte: Notícias Agrícolas
]]>
https://grupotide.com.br/2020/08/28/soja-segue-em-alta-nesta-6a-feira-em-chicago-e-testa-suas-maximas-em-11-mesesos-precos-da-soja-continuam-subindo-na-bolsa-de-chicago-nesta-sessao-de-sexta-feira-28-os-futuros-da-oleaginosa-por-vol/feed/ 0